Shirley.comtudo
Open Panel
ALE-RR

CVV Boa Vista fará seleção para novos voluntários

shirleycontudo

CVV Centro de Valorização da Vida Foto Alex Paiva 4

Centro presta apoio emocional por meio do número 188

CVV Boa Vista fará seleção para novos voluntários

O Centro de Valorização da Vida (CVV) em Boa Vista realizará uma seleção para novos voluntários a partir da próxima segunda-feira (22). Os interessados precisam participar de um curso que dura uma semana. A capacitação ocorrerá no auditório do Instituto de Antropologia (Inan), da Universidade Federal de Roraima, localizada na Av. Capitão Ene Garcez, Campus Paricarana, no bairro Aeroporto.

Para participar, os candidatos precisam ser maiores de 18 anos e devem ter tempo disponível para prestar apoio emocional às pessoas que buscam atendimento por meio do número 188. Atualmente, Boa Vista conta com 12 voluntários que participam dos plantões uma vez na semana.

De acordo com a voluntária Elizabete Brito, no final do curso, será realizada uma avaliação com os candidatos. “A escolha desses candidatos acontece pelo Programa de Seleção de Voluntários [PSV]. No final do curso, após uma semana de qualificação, será aplicada uma avaliação para saber se realmente essas pessoas estão hábeis a servir”, disse.

A inscrição e o curso serão gratuitos. Elizabete destaca ainda a importância de os candidatos terem tempo disponível e doarem um pouco de atenção a quem está passando por um momento difícil. “É um serviço de ajuda. Por isso, todos os candidatos passam por essa capacitação, para que possam atender as ligações recebidas de todos os cantos do país”.

Centro de Valorização da Vida

O CVV é uma associação civil sem fins lucrativos. Atua em todo o país, recebendo ligações pelo número 188. Qualquer pessoa que esteja passando por uma situação delicada será atendida por voluntários. As ligações são sigilosas. O número funciona 24h por dia, sem nenhum custo.

No Estado, a Assembleia Legislativa de Roraima presta apoio, por meio da Procuradoria Especial da Mulher, com a liberação de uma sala para que os atendimentos aconteçam.  

 

(Fonte: SupCom ALE-RR )

Postagens Anteriores

folha

Defensoria e OAB/RR chamam entidades para definir novos protocolos de atendimento a crianças e adolescentes migrantes

shirleycontudo

DSC 1137

“O assunto deve ser amplamente debatido com algumas entidades que também atuam na defesa da criança e do adolescente”, diz defensor-geral

Defensoria e OAB/RR chamam entidades para definir novos protocolos de atendimento a crianças e adolescentes migrantes

O fluxo de crianças e adolescente migrantes e refugiadas sem documentação e desacompanhadas dos pais tem preocupado a Defensoria Pública do Estado (DPE) e a Comissão dos Direitos da Criança e do Adolescente da OAB/Roraima. Para encontrar uma solução para amenizar a situação, haverá uma reunião na próxima segunda-feira, 22, no auditório da DPE. O horário a confirmar.

A presidente da Comissão da OAB-Roraima, Denise Cavalcanti, esteve reunida com o defensor público-geral Stélio Dener, o subdefensor público-geral Oleno Matos e ocorregedor-geral Natanael Ferreira para, em conjunto, buscar saídas. A pauta foi construída durante a reunião e que será apresentada para as demais entidades.  

 “O assunto deve ser amplamente debatido com algumas entidades que também atuam na defesa da criança e do adolescente. Portanto, estamos chamando representantes do programa Operação Acolhida e do IMDH (Instituto Migrações e Direitos Humanos), pois quem sabe assim definiremos novos protocolos de atendimento”, informou o defensor público-geral, Stélio Dener.

A advogada Denise informou que o TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima) mantinha alguns técnicos para dar o atendimento e o suporte necessário às famílias que necessitavam do apoio para serem atendidas pela Defensoria, porém, no sábado (13), foram retirados esses técnicos.

“Diante dessa realidade, nós instituições parceiras temos que se unir e nos apoiar perante essa problemática, uma vez que crianças e adolescentes têm prioridade absoluta e proteção integral da lei. Estamos apenas tentando viabilizar a proteção integral que essas crianças necessitam e merecem”, ressaltou a representante da OAB RR.

Conforme o defensor público-geral, com a saída do TJRR de dentro do PETRIG, o atendimento junto aos migrantes ficou comprometido, visto que eram eles que faziam otrabalho de triagem e encaminhavam para a DPE às demandas judiciais pertinentes. “Agora, nosso principal desafio é evitar que a demanda fique retida. Então, certamente, nós vamos sentar e definir novo fluxo de atendimento. É isto que vamos tratar na reunião, uma forma de dar continuidade ao atendimento das crianças refugiadas”, complementou Dener.

Postagens Anteriores

folha

Compositor de Roraima lança espetáculo em São Paulo com músicas sobre meio ambiente para crianças

shirleycontudo

Outlook image.png

O espetáculo que mescla música, teatro e manipulação de bonecos, apresenta doze canções

Compositor de Roraima lança espetáculo em São Paulo com músicas sobre meio ambiente para crianças

Depois de uma temporada de sucesso no Sesc Belenzinho, em São Paulo, o espetáculo Planeta Oca segue agora para o Sesc Campinas, com o objetivo aproximar as crianças da natureza.

A produção é da Companhia Dois Sóis, formada pela cantora Carú Ricardo e a atriz e ex-apresentadora da TV Globinho Flávia Rubim, e as canções foram compostas pelo biólogo Ciro Campos que é fundador do Movimento Puraké e atua no Instituto Socioambiental (ISA) aqui em Boa Vista-RR.

O espetáculo que mescla música, teatro e manipulação de bonecos, apresenta doze canções que falam do planeta, água, lixo, árvores, biomas do Brasil e animais da nossa fauna como tamanduá, o tatu e a ariranha.  O CD está disponível no spotity e o clipe de algumas canções já pode ser encontrado no canal do Planeta Oca no youtube. 

Se tudo der certo, em breve o espetáculo vai chegar por aqui também.

Postagens Anteriores

folha

"A arte é a nossa principal ferramenta", diz integrante do próximo espetáculo do Palco Giratório

shirleycontudo

20 aquelas

A Companhia de Teatro Manada do Ceará, apresenta espetáculo "Aquelas", sábado,20

"A arte é a nossa principal ferramenta", diz integrante do próximo espetáculo do Palco Giratório

             O primeiro espetáculo do Palco Giratório foi um sucesso e lotou o Teatro Jaber Xaud, no Sesc Mecejana. A próxima apresentação, "Aquelas'  acontece no dia 20, sábado às 20h, e para prestigiar, basta levar 1 kg de alimento não perecível.

            'Aquelas' é uma apresentação da companhia de Teatro Manada, do Ceará. Remonta à história de Maria de Bil, santa popular da cidade de Várzea Alegre (CE). Assassinada em 1926 pelo seu “companheiro”, transformada em mártir e até hoje é ícone de devoção do povo da região. No espetáculo, que mistura a história da santa com pessoalidades das intérpretes, o público é convidado a participar do preparo de um indigesto jantar envolvendo facas, carne, sangue e outros elementos, oferecidos à mesa com os corpos das próprias atrizes/performers. Uma encenação delicada e cruel que apresenta, por meio de quadros performativos, um caleidoscópio das diversas formas de violência de uma sociedade machista. Bom apetite!

            De acordo com Monique Cardoso, uma das integrantes da equipe, contou que a peça traz a representação de histórias de mulheres que sofrem violências no decorrer do tempo. "É um grito nosso, de como podemos combater e não reproduzir pensamentos machistas que nos matam todos os dias, então a arte é a nossa principal ferramenta para toda essa violência".

            Monique declarou ser um 'presente' viajar pelo Brasil levando a discussão de um tema tão importante como este. 'Aquelas' é a primeira obra do grupo, e a próxima deve ser lançada em novembro.

            A classificação indicativa para o evento é para maiores de 14 anos, e tem duração de 50 minutos. A quantidade de vagas é limitada, por isso o  público deve chegar pelo menos uma hora antes do espetáculo, levando 1kg de alimento.

Postagens Anteriores

folha

Fórum Internacional do Meio Ambiente: prazo para submissão de trabalhos encerra dia 31

A Conferência da Terra 2019 é baseada em 23 eixos temáticos

Pautada no Tema Geral “Línguas, Ritos e Protagonismos nos Territórios Indígenas”, A Conferência da Terra – Fórum Internacional do Meio Ambiente será celebrada em Boa Vista, no período de 18 a 20 de setembro de 2019 na Universidade Federal de Roraima (UFRR). O prazo para submissão de trabalhos encerra dia 31 de julho.

A Conferência da Terra, o maior evento socioambiental acadêmico-científico, em sua 8ª edição, é uma realização da Universidade Federal de Roraima, em parceria com instituições governamentais e privadas, cujas atividades programadas ocorrerão no Centro Amazônico de Fronteiras (CAF), no campus Paricarana da UFRR.

A UNESCO elegeu 2019 como o Ano Internacional das Línguas Indígenas, apoiando e fortalecendo a conscientização global da preservação, revitalização e promoção das línguas originárias no planeta.

A Conferência da Terra 2019 é baseada em 23 eixos temáticos, destacando-se: Educação e Sustentabilidade; Tradições Indígenas; Sistemas Produtivos; Migrações Humanas; A Questão da Terra; Políticas Públicas e Projetos; Mudanças Climáticas; Educação e Línguas; dentre outros temas principais e transversais.

Globalmente, existem mais de seis mil idiomas ancestrais falados por povos indígenas; todavia, o patrimônio linguístico segue desaparecendo em ritmo alarmante. Sem medidas adequadas para a preservação dos povos e suas línguas, as diversas formas de linguagem milenar estão condenadas ao desaparecimento e, junto com elas, vão se extinguindo a história, a memória e as tradições linguísticas em todo o mundo.

Evento consagrado internacionalmente, a Conferência da Terra 2019 vai reunir centenas de pesquisadores, professores, representantes de instituições, governamentais e não governamentais, nacionais e internacionais.

A escolha de Boa Vista para sediar A Conferência da Terra: Fórum Internacional do Meio Ambiente deve-se à sua representatividade junto aos povos ancestrais, cujo domínio ocupa 50% do território estadual. São 11 etnias ocupando 32 terras indígenas em Roraima, destacando-se os territórios Yanomami, São Marcos, Waimiri-Atroari e Raposa Serra do Sol.

Os resultados e metas previstas incluem ampla divulgação no Brasil e exterior, e a publicação dos trabalhos apresentados como capítulos nos livros e-books, com ISBNs e selo da Editora UFRR.

Outras informações: (95) 98119-5049 / 98101-6363 (aplicativo de mensagens - WhatsApp.).

Prazo para submissão de trabalhos: 31 de julho de 2019.
E-mail: confterra2019@gmail.com.
Confira a forma de realizar sua inscrição no link "inscrições" - http://ufrr.br/confdaterra/

Postagens Anteriores