Shirley.comtudo
Open Panel
ALE-RR

CHAME intensifica trabalhos junto a militares e profissionais de saúde

shirleycontudo

Atedimento CHAME Foto.Alfredo Maia 6

Novos projetos fazem parte da estratégia do centro para educar tanto vítimas, quanto agressores em potencial e pessoas envolvidas

CHAME intensifica trabalhos junto a militares e profissionais de saúde

Para minimizar os casos de violência de gênero e familiar no Estado, o CHAME (Centro Humanitário de Apoio à Mulher) trabalha para informar e sensibilizar homens e mulheres. A implantação de dois novos projetos, “De Olho Nelas”, voltado para profissionais da Saúde, e “A Vida Pede Passagem”, focado no trabalho juntos aos militares, aparece para intensificar estas ações em Roraima.

Muitas vítimas vão às unidades de saúde em busca de cuidados médicos após uma agressão, mas muitas vezes as explicações sobre os ferimentos não coincidem com o ocorrido. Por isso, o projeto De Olho Nelas busca orientar profissionais desta área para identificar e registrar situações, mesmo que a vítima tente omitir a verdade. Dimensionar o número de casos contribui para pensar políticas públicas para combater a violência contra a mulher.  

Outra novidade é o projeto A Vida Pede Passagem, que pretende alcançar os militares, uma vez que, profissionais do Chame, é grande o número de esposas desses profissionais que procuram atendimento no Chame. “É falar de violência doméstica para os homens, porque quem comete são eles. E nada melhor do que informar do que é uma violência psicológica, sexual, pois muitos cometem e não sabem de fato”, explicou a coordenadora do CHAME, Elizabete Brito.

A estratégia adotada pelo Chame é levar orientação às escolas, entidades religiosas, unidades de saúde e demais instituições públicas e privadas, para educar a sociedade sobre a necessidade de romper o ciclo da violência. Informar, é a maior ferramenta de prevenção, pontuou a coordenadora. “A informação hoje é a maior arma para a diminuição do índice de violência, porque uma mulher que sabe identificar se de fato está nesse ciclo, vai conseguir romper e sair dessa violência”.

Violência psicológica lidera estatísticas

A violência psicológica lidera o ranking de atendimento nas estatísticas do Chame. Em 2019, foram 264 casos. A violência moral e ameaça de morte resultaram em 182 e 122 registros, respectivamente. Mais de 90 ações educativas ocorreram em Boa Vista e em municípios do interior, incluindo comunidades indígenas.

No ano passado, a unidade realizou 830 atendimentos, 152 a menos em relação a 2018. Na avaliação da coordenadora, isso pode ser associado às ações educativas realizadas. “Essa queda se dá pelas informações levadas aos homens, a partir do momento em que sabe, não cometem mais”, destacou.

E se a violência já ocorreu?

Procurar ajuda é importante para romper o ciclo da violência. Caso a pessoa não queira se identificar ou deseje apenas tirar uma dúvida, as plantonistas do Zap Chame estão disponíveis 24 horas por dia, inclusive nos fins de semana e feriado. Basta mandar uma mensagem para o telefone 95 98402-0502. O número não recebe ligações.

Se a vítima busca um acolhimento e atendimento jurídico e psicológico, uma equipe multidisciplinar poderá atendê-la pessoalmente de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, na rua Coronel Pinto, nº 524, no Centro de Boa Vista.

(Fonte: SupCom ALE-RR)

Postagens Anteriores

folha

Ano letivo na Escola do Sesc começa hoje

shirleycontudo

JKS 9709

Mais de 900 alunos iniciarão o ano letivo

Ano letivo na Escola do Sesc começa hoje

O início do ano letivo na Escola do SESI (Centro de Educação do Trabalhador João de Mendonça Furtado) inicia nesta segunda-feira, 03. Ao todo, mais de 900 vagas foram preenchidas e dividas nas categorias da Educação infantil (maternal), Educação Fundamental I e II, Novo Ensino Médio e a EJA (Educação de Jovens e Adultos). As vagas são destinadas para dependentes de industriários, conveniados e comunidade geral.

A expectativa do retorno as aulas não acontecem apenas do lado dos pais e alunos. Os profissionais da educação do SESI Roraima, sempre se preparam para retornar à sala de aula mais capacitados e qualificados.

Na última semana de janeiro, a equipe da educação passou por uma intensa programação que tinha como objetivo capacitar os profissionais com as oficinas e palestras, tais como Estatuto da Criança e Adolescente na Escola (ECA), Educação Inclusa, curso de primeiros socorros, papel do colaborador no ambiente Escolar, formação do novo ensino médio e entre outras.

Para saber detalhes de como ingressar na Rede SESI, os pais ou responsáveis podem procurar a secretaria da Escola, na Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, 3710 – Aeroporto ou ligar nos telefones: (95) 4009-1895/ (95)9126-0099.

Postagens Anteriores

folha

Aos 43 anos, aluna da Escola do Legislativo passa em primeiro lugar para biologia na UFRR

shirleycontudo

Rosa Elana Rodrigues 2

25 alunos da Escola do Legislativo Cursos Preparatórios foram aprovados nos vestibulares da UFRR e IFRR

Aos 43 anos, aluna da Escola do Legislativo passa em primeiro lugar para biologia na UFRR

“Pra mim, a ficha vai cair quando eu fizer a minha matrícula na Universidade”, conta Rosa Elana Rodrigues, de 43 anos, aprovada em primeiro lugar para o curso de licenciatura em Ciências Biológicas da UFRR (Universidade Federal de Roraima). Ela atribui parte desta conquista ao curso preparatório que realizou na Escola do Legislativo Cursos Preparatórios.

Assim como Rosa, mais 24 alunos também passaram nos vestibulares da UFRR e IFRR (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima) para os cursos de Agronomia, Antropologia, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Jornalismo, Direito, Física, Letras em Libras, Português e Inglês, Matemática, Pedagogia, Química, Relações Internacionais, Secretariado Executivo, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Gestão de Turismo e Gestão Hospitalar.  

Rosa agradeceu o apoio da Assembleia Legislativa de Roraima por ofertar a ela e a milhares de outros vestibulandos um curso preparatório gratuito. “Foi muito importante pra mim. Sem a Escola [do Legislativo] eu não teria chegado até aqui porque não teria condições de pagar um curso, de expandir meu conhecimento”, agradeceu.

A futura acadêmica conta que às vezes faltava o dinheiro para condução, e ela saía do bairro Asa Branca até o Pintolândia, a pé, para não perder aula, um percurso de pouco mais 3 quilômetros. Quando voltava para casa, pegava o conteúdo explicado em sala para revisar.

Ela chegou a cursar Ciências Biológicas em uma faculdade particular, mas teve de interromper o curso por falta de recursos financeiros. Este foi o primeiro vestibular que ela fez para uma instituição pública, pois antes não se sentia preparada para a ampla concorrência. Para ela, todo este esforço valerá a pena, pois este é um curso almejado por ela. “Uma área de descobertas e que me interessa muito, me instiga muito.”

A experiência de Rosa com a Escola do Legislativo continuará, pois assim como do preparatório para o Enem/Vestibular, a aluna também participou de módulos iniciais nos cursos de Libras (Língua Brasileira de Sinais), Atendente de Farmácia e Espanhol.

Preparatórios para concursos, Enem e vestibulares continuarão em 2020

A Escola do Legislativo Cursos Preparatórios, em dois anos com oferta de preparatórios, já ajudou cerca de 80 pessoas a ingressarem em instituições de ensino superior e a preencherem cargos no serviço público por meio de concursos.

A proposta, conta a diretora da Escola do Legislativo, Cristina Mello, é atender as demandas da comunidade e, para isto, a instituição continuará com os preparatórios gratuitos e com material para estudos. “Hoje nós sabemos que os concursos estão aí, não param os editais e esses ‘concurseiros’ estão sempre presentes isso é importante porque a cada preparatório temos notícias boas com aprovados, com classificados”.

Em 2019, A Escola ofereceu preparatórios para concurso das Polícias Civil e Militar, para secretarias da Prefeitura de Boa Vista, do IFRR, para o Enem e vestibular.

(Fonte: SupCom ALE-RR)

Postagens Anteriores

folha

Caroebe recebe neste sábado Plano Diretor elaborado pela Assembleia Legislativa

shirleycontudo

Entrega Plano Diretor Cantá Foto Lucas Almeida27 1

Esta é a sexta prefeitura a receber o plano; previsão é que ainda nesse semestre todos os municípios estejam com o documento, que ajudará no desenvolvimento do Estado

Caroebe recebe neste sábado Plano Diretor elaborado pela Assembleia Legislativa

Caroebe, a 377 quilômetros de Boa Vista, receberá neste sábado (1º) seu Plano Diretor, elaborado pela Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR). A entrega do documento será feita pelo presidente do Poder Legislativo, deputado Jalser Renier (SD), na Praça dos Correios, a partir das 16h30. Este é o sexto município atendido pela ação, que deverá contemplar todo o Estado ainda neste ano.

Elaborado por meio do CAM (Centro de Apoio aos Municípios), o documento é o instrumento básico para o desenvolvimento urbano dos municípios. Para execução do plano, o centro contou com o apoio de técnicos, analistas de meio ambiente, engenheiros agrônomos, civis, florestais, arquitetos, entre outros, que fizeram o mapeamento das localidades, além de ouvir a necessidade dos moradores locais.

De acordo com o diretor do CAM, Joaquim Ruiz, sem o Plano Diretor, os municípios ficam impossibilitados de receber recursos. “Esses Planos são obrigatórios para que as prefeituras possam fazer qualquer tipo de convênio, tanto com o Governo Federal quanto com o Estadual. As prefeituras são obrigadas a terem o Plano Diretor e o de Resíduos Sólidos, como consta agora na nova legislação, para captar recursos nas áreas de saneamento básico e infraestrutura”.

Outros fatores que inviabilizam o desenvolvimento das cidades sem o Plano Diretor, segundo Joaquim Ruiz, é a titulação de áreas urbanas e a reforma do ensino básico, por exemplo. “Ele dá algumas diretrizes nas áreas da educação, da saúde, infraestrutura e tributária. Então, se a localidade não tiver o documento, nada poderá ser feito e os municípios poderiam ser prejudicados”, comentou.

No ano passado, o documento foi entregue aos municípios de Normandia, Bonfim, Cantá, Iracema e Amajari. Com o plano de todos os municípios passando pelos últimos ajustes, a intenção é que ainda no primeiro semestre deste ano eles sejam entregues para que sejam votados pelas Câmaras Municipais.

 

(Fonte: SupCom ALE-RR)

Postagens Anteriores

folha

Oficiais de Justiça não vão mais cumprir mandados judiciais na PAMC

shirleycontudo

Luiz Cláudio de Jesus

Luiz Claudio de Jesus - presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário

Oficiais de Justiça não vão mais cumprir mandados judiciais na PAMC

Os oficiais de justiça que atuam nos fóruns cível e criminal de Roraima comunicaram na manhã desta quinta-feira, 30, a decisão de que a partir de agora, não irão mais cumprir mandados de intimação, alvarás e outras demandas na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc).

A decisão foi comunicada ao presidente do Tribunal de Justiça de Roraima, desembargador Mozarildo Cavalcante, e ao juiz auxiliar da Corregedoria, Breno Coutinho, por representantes do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário (Sintjurr) e do Sindicato dos Oficiais de Justiça (Sindojerr) em reunião na manhã desta quinta-feira.

De acordo com o presidente do Sintjurr, Luis Cláudio de Jesus, o motivo é a grave crise sanitária instalada naquela unidade prisional e os risco que isso traz para os oficiais de justiça, para suas famílias e para toda  sociedade.

"O oficial de Justiça adentra ao presídio, tem contato direto com os presos, sem equipamentos, sem qualquer tipo de proteção e, saindo de lá vai para a rua fazer contato com outras pessoas. Ou seja, nós corremos o risco de ser vetores, condutores de algum tipo de problema de saúde, visto as inumeras enfermidades causadas por  fungos,  bacilos e bactérias,  dentro do presídio. É um problema sanitário e nós podemos acabar sendo um veículo propagador desse tipo de mazela", justifica o sindicalista.

Luis Cláudio informou que o Tribunal de Justiça deve buscar uma solução para o problema junto ao Governo do Estado, para que os mandados possam continuar a ser entregues de uma outra forma ou que haja um novo meio de intimação para comparecimento dos presos nas audiências.

"Uma alternativa seria o cumprimento do envio do mandado via malote digital ou a requisição de apresentação dos presos ao diretor do presídio", apontou.

Postagens Anteriores

folha